Entre em contato com um de nossos especialistas!

HORA DE CAÇA AOS CULPADOS OU DE ASSUMIR O GERENCIAMENTO DE RISCOS?

HORA DE CAÇA AOS CULPADOS OU DE ASSUMIR O GERENCIAMENTO DE RISCOS?

Chuvas alagam e isolam cidades no Sul da Bahia, cidades mineiras ficam inundadas, estradas e pontes são destruídas, desprendimento de rocha mata turistas em Capitólio - MG. 

Os eventos acima, que ocorrem desde dezembro, nos fazem refletir sobre que situações devem considerar o efeito de mudanças climáticas em avaliação de riscos para as providências necessárias.

Não nos parece que os fenômenos El Niño, La Niña (presente no período atual) e a ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul sejam novos ou desconhecidos, pois eles se manifestam ano após ano.

Os projetos de barragens, pontes, estruturas de drenagem, cortes, taludes consideraram a pior condição de cheia? As premissas continuam válidas?

Verificamos nos noticiários que alguém teria dito, no caso do acidente de Capitólio, que nunca tinha ocorrido um desplacamento de rochas e que não se imaginava que iria ocorrer. Aí entra o conceito de gerenciamento de mudanças: o risco era o mesmo que em condições de época de estiagem? A estabilidade é a mesma em qualquer circunstância? A gestão de riscos deveria ser aplicada justamente a situações que ainda não ocorreram, com a intenção de evitar a sua ocorrência a priori.

Em princípio, assumimos que os controles operacionais (de prevenção, de monitoramento e de atenuação) para gerenciamento dos riscos não funcionaram a contento, resultando no que estamos percebendo nos noticiários. O que falhou ou deixou de ser aplicado? Havia limites de aproximação dos paredões? Havia limite de quantidade de lanchas no local, de modo a facilitar a evasão do local? Foram realizados exercícios de abandono do local em caso de acidentes, ou na iminência deles?

blog.pmanalysis.com.br

É hora de rever as responsabilidades, os pontos críticos e as providências a serem tomadas. Vale o conceito de ação preventiva e corretiva: evitar a manifestação do evento danoso ou a sua repetição.

O aprendizado desses eventos negativos nos leva à necessidade de estabelecer o gerenciamento dos riscos e sua contínua reavaliação.

blog.pmanalysis.com.br

 

A PM Analysis elaborou em conjunto com a QMS Brasil (www.qmsbrasil.com.br) o treinamento de CRP-31000 (Curso de Certificação Profissional ISO 31000 - Gestão de Riscos - Q Academy), totalmente online, que aborda diversos conceitos e ferramentas para a gestão de riscos em diversos empreendimentos.



Confira mais imagem:

  • Rio de Janeiro
  • São Gonçalo
  • Duque de Caxias
  • Nova Iguaçu
  • Niterói
  • Belford Roxo
  • São João de Meriti
  • Campos dos Goytacazes
  • Petrópolis
  • Volta Redonda
  • Magé
  • Itaboraí
  • Mesquita
  • Nova Friburgo
  • Barra Mansa
  • Macaé
  • Cabo Frio
  • Nilópolis
  • Teresópolis
  • Resende